Dor de cabeça

O que é?

É como chamamos popularmente a cefaléia. Entender as características dos mais comuns e saber descrevê-las ajuda o seu médico a prescrever o melhor tratamento.

Sintomas:

Cefaleia tensional – provoca dores que dão a sensação de cabeça pesada, apertada ou pressionada. Geralmente é uma dor fraca ou moderada, não impede você de fazer suas atividades do dia a dia e não causa outros sintomas. As causas podem ser estresse, ansiedade e depressão e o tratamento geralmente é feito com medicamentos.

Cefaleia em salvas – é menos frequente e tem como sinal uma dor intensa, que aparece a noite, de um lado só ou em torno dos olhos. Pode durar poucos minutos ou horas. Algumas pessoas podem ficar com os olhos avermelhados e lacrimejando, congestão nasal e a pálpebra caída do lado que tem a dor. As causas podem ser problemas na região do cérebro conhecia como hipotálamo, responsável pelo controle da temperatura, hormônios e sono.

Tratamento:

Ao invés de se automedicar ou diagnosticar, procure um médico! Até porque, muitas doenças têm a cefaléia como sintoma. E o melhor a se fazer é procurar orientação para descobrir se é só uma dor de cabeça mesmo ou se ela pode ser o sinal de outra condição de saúde.

Fonte: Portal Pfizer

Agende sua consulta

Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida
Entrada Inválida

Contato

61 3272-5033

Segunda a Sexta-feira de 08h às 19h.


Sábado de 08:00 às 12:00


Hospital dia: todos os dias, inclusive domingos e feriados.

RT: Dr. Carlos Bernardo Tauil | CRM-DF: 12771

Dr. Lucas Cruz Costa Leal
Neurologista e Neurofisiologista

FORMAÇÃO

  • Graduado em Medicina pelo Centro Universitário UNIRG. Conclusão em Dezembro de 2013;
  • Residência em Neurologia pelo Hospital de Base do DF. Conclusão em Fevereiro de 2018;
  • Residência em Neurofisiologia clínica pelo Hospital de Base do DF;
  • Experiência na área de Epilepsia;
  • Leitura fluente em inglês (2007).

EXPERIÊNCIA

  • 2018-Atual – Médico Neurologista na Clínica Sinapse Neurologia em Brasília-DF;
  • 2015-Atual – Médico plantonista do Box de Emergências do Hospital Regional de Santa Maria-DF;
  • 2014 (Fevereiro a Dezembro) – Médico de ESF na Cidade de Campos Belos - GO;
  • 2014 (Janeiro) – Médico Plantonista no Hospital de Urgências de Trindade – GO;
  • 2010 – Estágio no Pronto Socorro do Hospital Neurológico de Goiânia – GO – Duração de 02 semanas.

ATIVIDADES

  • Autor do Capítulo Neuropatias Periféricas, que faz parte do livro: Neurologia da editora Atheneu;
  • Participante da LASSE 2019 (Escola Latino Americana de Epilepsias);
  • Residente chefe da residência de Neurologia do Hospital de Base por 3 anos;
  • Premiado com melhor trabalho por uma pesquisa sobre Relação entre uso de anticoncepcionais e cefaléia exposto no XXVI Congresso Brasileiro de Cefaléia no ano de 2013 - Orientação da Dra. Margareth Giglio - Staff da Ginecologia do Hosp. Materno Infantil.

NEUROLOGIA

A Neurologia é a especialidade que se dedica ao diagnóstico e tratamento das doenças que afetam o sistema nervoso (cérebro, tronco encefálico, cerebelo, medula espinhal e nervos) e os componentes do sistema nervoso periférico (junção neuromuscular, nervos e músculos).

As doenças mais comuns tratadas pelo neurologista são:

  • ​Cefaleias ou dores de cabeça;
  • Distúrbios do sono (insônia, excesso de sono, sono não restaurador, ronco, apnéia do sono);
  • Doenças cerebrovasculares (AVE) ou “derrames”;
  • Distúrbios do movimento (como tremores, tiques e doença de Parkinson);
  • Demências (como doença de Alzheimer);
  • Doenças desmielinizantes (como a Esclerose Múltipla);
  • Neuropatías periféricas (como a Neuropatía Diabética);
  • Doenças musculares e da junção (como a Miastenia Gravis);
  • Desmaios, crises convulsivas e epilepsias;
  • Tonturas e vertigens;
  • Infecções do sistema nervoso (como Meningites e Encefalites);
  • Tumores;
  • Doenças degenerativas (como a ELA);
  • Déficit de atenção e hiperatividade;
  • Formigamentos, perda de memória, confusão, perda de força, alteração na visão, mudança de comportamento, etc;

A neurologia também tem interface com a psiquiatria que trata de casos de depressão, ansiedade, irritabilidade e pânico.

NEUROFISIOLOGIA

A neurofisiologia é um ramo da fisiologia que tem como objeto de estudo o funcionamento do sistema nervoso. Faz parte do campo científico denominado neurociência.

Relaciona-se com a:

  • ​Eletrofisiologia;
  • Neuroanatomia;
  • Neurobiologia;
  • Neuroendocrinologia;
  • Neuroimunologia.
  • Contribuindo para ciências médicas aplicadas como a neurologia e neurofisiologia clínica.

    NEUROPSICOLOGIA

    A Neuropsicologia é uma interface ou aplicação da psicologia e da neurologia, que estuda as relações entre o cérebro e o comportamento humano.

    Sua principal área de atuação é na compreensão de como lesões, malformações, alterações genéticas ou qualquer agravo que afete o sistema nervoso causam déficits (alterações) em diversas áreas do comportamento e da cognição humana.

    Em outras palavras, a neuropsicologia atua mais frequentemente no estudo das funções mentais superiores, sem deixar de estudar áreas como agressividade, sexualidade, que tradicionalmente são investigadas por abordagens fisiológicas e biológicas (neurobiologia, neurofisiologia, psicofisiologia, psicobiologia). Desse modo a neuropsicologia compõe fortemente o campo das neurociências, com ênfase na neurociência cognitiva.

    PSIQUIATRIA

    Psiquiatria é uma especialidade da Medicina que lida com a prevenção, atendimento, diagnóstico, tratamento e reabilitação das diferentes formas de sofrimentos mentais, sejam elas de cunho orgânico ou funcional, com manifestações psicológicas severas.

    São exemplos: a depressão, o transtorno bipolar, a esquizofrenia, a demência e os transtornos de ansiedade. Os médicos especializados em psiquiatria são em geral designados por psiquiatras (até meados do século XX foi também comum a designação alienistas).

    A meta principal é o alívio do sofrimento e o bem-estar psíquico. Para isso, é necessária uma avaliação completa do paciente, com perspectivas biológica, psicológica e de ordem cultural, entre outras afins. Uma doença ou problema psíquico pode ser tratado com medicamentos ou terapêuticas diversas, como a psicoterapia, prática de maior tradição no tratamento.

    PSICOLOGIA

    Psicologia é a ciência que estuda o comportamento e as funções mentais.

    A psicologia tem como objetivo imediato a compreensão de grupos e indivíduos tanto pelo estabelecimento de princípios universais como pelo estudo de casos específicos,e tem, segundo alguns, como objetivo final o benefício geral da sociedade.

    Um pesquisador ou profissional desse campo é conhecido como psicólogo, podendo ser classificado como cientista social, comportamental ou cognitivo.

    A função dos psicólogos é tentar compreender o papel das funções mentais no comportamento individual e social, estudando também os processos fisiológicos e biológicos que acompanham os comportamentos e funções cognitivas.

    NUTRICIONISTA

    Esse profissional também visa à segurança alimentar e à atenção dietética, em todas as áreas do conhecimento em que a alimentação e nutrição se apresentem fundamentais para a promoção, manutenção e recuperação da saúde e para a prevenção de doenças de indivíduos ou grupos populacionais.

    Sua atuação contribui para a melhoria da qualidade de vida e deve ser pautada em princípios éticos, com reflexões sobre a realidade econômica, política, social e cultural do país.

    MEDICINA DO SONO

    A Medicina do Sono é a indução do sono com propósitos psiquiátricos, é uma área da saúde que estuda as funções do sono, os seus distúrbios e o impacto destes distúrbios na vida dos indivíduos.

    Atualmente conhece-se mais de oitenta distúrbios do sono e estes podem ser divididos entre aqueles que:

    • Provocam redução do sono:
    • Insônia

    • Levam ao aumento do sono:
    • Narcolepsia ;

      Apneia do sono.

    • Ocorrem durante o sono sem alterar a duração do sono:
    • Ranger de dentes durante o sono (bruxismo)

      Urinar durante o sono (enurese noturna, incontinência urinária)

      Sonambulismo

      Pesadelo

      Terror noturno

      Ronco e a fala durante o sono (sonilóquio).